Há um número maior de pessoas com diabetes tipo 1 que descobriram que podem ser ativas e com isso, há um número ainda maior de pessoas competindo em nível alto em diferentes esportes e atividades.

Por isso, é possível perceber que há benefícios na atividade física, mas é claro, existem alguns desafios a serem encontrados. Confira:

Diabetes tipo 1 e exercícios

O exercício regular costuma ser uma das obrigações para conseguir controlar a diabetes tipo 1 e também a manutenção da saúde geral.

No entanto, as atividades também podem ser um desafio complicado para os atletas que enfrentam a diabetes, já que aumenta o risco de hipoglicemia, tanto a fatal quanto com cetoacidose.

Assim, é importante compreender as diferentes metas de glicose para conquistar m exercício seguro, eficaz e que tenha uma boa resposta hormonal aos diferentes tipos de atividade.

A pessoa que vive com Diabetes tipo 1 Rio de Janeiro consegue equilibrar com cuidado a sua dose de insulina, junto dos carboidratos que ingere e bebe.

Junto disso, combina com a quantidade de atividade física, podendo considerar ainda outros fatores que irão afetar a concentração de glicose no sangue.

A atividade física regular é uma forma de manter a saúde em dia e também pode ser a forma de controlar a diabetes.

Efeito do exercício sobre a glicose no sangue em diabetes tipo 1

A atividade física pode aumentar ou diminuir a glicose do sangue. Durante a atividade, ela diminui por conta dos músculos que a usam como energia e assim, o corpo fica mais sensível a insulina.

Porém, pode haver vezes em que a concentração de glicose no sangue aumente por conta de outros fatores, como os efeitos de outros hormônios como adrenalina, liberados durante os exercícios.

O diabetes em cada pessoa é diferente, por isso, podem reagir de jeitos diferentes enquanto se exercita.

É apenas importante que se compreenda que a sua glicose irá reagir ao exercício e assim, tomar uma reação para controlar a flutuação e evitar um aumento ou diminuição.

As atividades físicas sempre devem ser pensadas com antecedências, com ajustes de insulina ou alimentos que deixarão tudo na medida certa no sangue.

Essas tendências de glicose no sangue podem ser percebidas em diferentes tipos de exercícios. De maneira geral, os de baixa intensidade e moderada vão diminuir o nível de glicose.

Enquanto isso, os exercícios de alta intensidade podem aumentar os níveis, assim como atividades mistas conseguem estabilizar.

Porém, cada caso é um caso. Por isso, as respostas individuais de cada pessoa dependem da duração, intensidade, concentração inicial, nível de aptidão, concentração de insulina e muito mais.

Outro ponto importante, é que as atividades podem ser acompanhadas e devem ser seguidas de métricas para medir o desempenho de cada exercício.

Assim, passar o tempo medindo a frequência cardíaca, distancia, velocidade, potência e outros fatores são importantes para melhorar a segurança.

Essas informações devem fornecer boas ideias de como os atletas podem melhorar o seu treinamento para garantir uma vida muito mais tranquila com a diabetes e atividades físicas.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *