Pensando em trocar de celular? Comprar da China pode ser uma boa opção

O mercado de celulares e smartphones é um dos mais aquecidos e dinâmicos do mundo há alguns anos, e muito por causa da entrada dos fabricantes chineses de forma estruturada e mais elevada tecnicamente.

Mas nunca foi sempre assim: sabemos que os artigos chineses sofreram – e com alguma razão – do rótulo de produtos de qualidade inferior e até de falsificados. Por outro lado, todas essas imagens serviam para as maiores fabricantes do mundo manterem o poderio chinês de produção longe dos holofotes.

E a China entrou definitivamente no mercado de celulares e smartphones

Porém, a China – diga-se sempre o governo chinês – tem investido fortemente no crescimento industrial e no domínio das tecnologias mais avançadas em todos os setores, e não seria diferente com um segmento tão importante para ganhar escala e visibilidade mundiais.

Aliado a isso, a China rivaliza com a Índia como nação com o maior número de trabalhadores, ou seja uma força humana muito grande para produzir muito mais e em menos tempo, com o capital e a tecnologia.

Se você está pensando em troca de celular, a China pode ser uma boa opção. Vamos ver alguns motivos.

China: smartphones de ponta com preço de médio porte

Com o surgimento e ascensão de fabricantes locais, usando mão-de-obra local (reconhecidamente de baixo custo), tecnologias avançadas e políticas agressivas de preço, muitos modelos possuem Android com configurações de ótimo padrão e preços de modelos de médio porte.

Isso atrai cada vez mais um publico consumidor que quer alto desempenho sem precisar pagar pela marca – ou nem faz questão dela.

China: mais fabricantes de smartphones e com ótimo nível de produto

É verdade que, infelizmente, as marcas chinesas ainda são desconhecidas no Brasil e não são vendidas no comércio tradicional – é possível comprar nas importadoras. Mas esse cenário está mudando aos poucos.

Pelo menos na visibilidade das marcas. A Xiaomi já tem uma imagem crescendo no país e é a preferida dos importadores por conta disso. Por outro lado, a Huawei também vem investindo forte a trazendo junto a credibilidade da marca em outros equipamentos.

Então, mesmo que apenas importando, hoje temos mais opções de concorrentes e com uma qualidade crescendo por conta dessa disputa de mercado.

China: investindo o tempo todo nas inovações

As marcas chinesas não tem receio de buscar as inovações e buscam elas o tempo todo – típico de quem sabe que precisa ir sempre além, mostrar algo novo, para se diferenciar de marcas globais e com um público quase fiel de centenas de milhões de pessoas.

O resultado são aparelhos com configurações realmente excelentes e que hoje conseguem mercado até mesmo nos Estados Unidos. Atualmente, algumas fábricas chinesas estão entre as cinco maiores do mundo.

China: importar smartphones se tornou mais simples e mais barato

Um smartphone chinês, na China, pode custar até 1/3 do seu correspondente em configuração no Brasil e até o mesmo modelo já em loja brasileira.

Mesmo depois de pagar pelos impostos e a taxa de homologação – cobrada somente de produtos que ainda exigirem o processo por parte da Anatel – ele ficará bem abaixo do valor final no Brasil.

Além disso, as principais lojas de eletrônicos na China têm investido cada vez mais em sites seguros, rapidez de processos e atendimento logístico – itens que ainda sofriam pela falta de um foco de marketing na maioria dos fabricantes e lojas.

Ou seja, comprar um celular da China deixou de ser uma tarefa arriscada como há alguns anos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *